segunda-feira, 9 de setembro de 2013

RECEITA DE MILINKA

Sim, eu sei que esse título não tem nada a ver com meu blog. Não criei esse espaço para compartilhar receitas (apesar de apreciar vários blogs desse tipo). Acontece que hoje de manhã, me lembrei de minha avó paterna - Dominichia Rainov, ou como era chamada aqui no Brasil - Vó Domingas. Ela veio da Bulgária e conheceu meu avô, Stefan Argachof, no navio, quando ambos imigravam para cá. Posteriormente, descobri que, na verdade, ela era da Moldávia, mas vivia em uma colônia búlgara de lá - Isrelia. Enfim, essa minha avó morreu quando eu tinha uns 8 anos, mas me lembro dela, lembro-me de sentir que ela gostava de mim, e vinha nos visitar sempre que podia.

Bom, talvez essa postagem tenha algo a ver com o espírito do meu blog sim, porque o tema central de O Elo Forte é justamente esse - o poder da influência que passamos de geração em geração dentro de nossa família!

Dona Domingas teve vários filhos e consequentemente várias noras, mas tinha a mania de manter segredo de suas receitas, talvez fosse para manter os filhos sempre por perto! Felizmente, ela resolveu passar uma de suas melhores receitas para minha mãe, a tradicional milinka era uma comida comum na longínqua Bulgária, mas não aqui! Ninguém sabe do que estou falando quando comento: Ai... que vontade de comer uma milinka! Ela nos contou que era costume lá, as moças fazerem campeonatos para ver quem conseguia abrir mais a massa da milinka sem deixá-la rasgar, servindo até como uma forma de provar que já estavam prontas para se casar e que seriam ótimas donas de casa.

Bom, gostei de relembrar tudo isso e vou compartilhar a preciosa receita aqui, em homenagem à ela. Acho que existem mais opções de recheio, mas os que ela mais fazia (e minha mãe também) são as de abóbora e queijo.

INGREDIENTES:

- 500gr. Farinha de trigo
- 1/2 colher de sobremesa de sal
- 2 colheres de sopa de óleo
- 1 copo (200 ml) de água

Recheio - Queijo fresco (ou meia cura) esfarelado e/ou doce de abóbora em creme (Ps. O de verdade, não acho que vá combinar aqueles doces industrializados)

Modo de Preparo:

Coloque em uma tigela a farinha, o sal e o óleo e vá amassando, despejando a água bem aos poucos. Deve chegar a um ponto em que a massa desgruda da mão, mas não fica muito dura, ela quase ameaça de grudar.

Faça uma bola e deixe-a descansar umas 12 horas.

Divida em 5 bolas e abra com o rolo e depois com o auxílio das mãos. (É aí que entra a habilidade! É muito difícil fazer isso sem rasgar a massa... Tanto que minha mãe diz que nunca conseguiu fazer uma tão boa quanto a de minha avó, e eu ainda não consigo fazer igual a da minha mãe! Mas vou continuar treinando...)

Quando a massa já estiver bem aberta e fininha por igual, deite-a sobre a mesa para espalhar o recheio. Não precisa lotar muito porque em seguida, a gente dobra essa massa (sobrepondo as camadas de recheio). Mas não é de dobrar ao meio, faça como se fosse fechar uma camisa e depois enrugue essa "camisa" até ficar numa largura de aproximadamente uns 6 cm.

Coloque essa massa comprida e amassadinha (ou enrugadinha) em uma forma redonda (tipo de pizza) untada, começando do centro e vá enrolando como se fosse uma cobrinha até encher a forma. As 5 bolas costumam render o tamanho de uma forma de pizza grande. Você pode mesclar os 2 sabores na mesma forma, colocando-os lado a lado.

Pincele (ou passe com os dedos mesmo) gema de ovo para ficar mais douradinho. Asse uns 40 min. em forno médio.

Vou ficar devendo uma foto, na próxima vez que eu fizer, vou tirar para postar aqui!


4 comentários:

  1. Eu conheço e comi muita milinka na casa de um tio meu, pois a sogra era búlgara dele e fazia aquela maravilha todos os domingos. Era lindo ver ela espichando a massa e, depois, comíamos aquela delícia. Era uma metade doce e outra salgada. São lembranças da minha infância.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Achei seu blog e lendo, parecia que era a história da minha avó. Também veio de Iserlia e também fazia muita milinka. Morreu ano passado com 103 anos. Obrigada pela receita. Tentarei fazer, pois ela só passou a receita para as filhas...
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  3. Fiquei tão feliz de ter encontrado enfim essa receita. Minha avó búlgara fazia (ela faleceu qdo eu tinha 4 anos) e eu nunca esqueci desse prato. Lembrava do queijo, da abóbora, mas não sabia como fazer. Aliás, não achava pq procurava por milina ... Tks

    ResponderExcluir
  4. Eu conheci como Milink...minha tia tem a receita que era da minha avó e hj em um encontro de familia fizemos pra lembrar a infancia.... uma delicia!!!
    obrigada por compartilhar a receita

    ResponderExcluir